Cyberbullying: violência virtual desencadeia casos de depressão e suicídio

Vítimas de “haters” podem sofrer de transtornos psicológicos após situação traumática

O termo cyberbullying define práticas de violência que acontecem em ambientes virtuais, principalmente nas redes sociais e nos grupos de WhatsApp. Um levantamento do Instituto de Pesquisa Ipsos aponta que o Brasil é o segundo país com mais casos de cyberbullying contra crianças e adolescentes

Segundo o Psicólogo André Barbosa, o cyberbullying pode provocar na vítima uma enorme sensação de tristeza e ansiedade, desencadear casos de depressão e em situações mais trágicas, até mesmo suicídio. Em Julho de 2019, a blogueira Alinne Araújo cometeu suicídio após de ser alvo de comentários maldosos nas redes sociais após seu noivo ter cancelado o casamento dias antes da cerimônia. 

“O perfil do agressor é de alguém que não sente empatia pela vítima. Este indivíduo pode sofrer de um transtorno mental, como a psicopatia ou o transtorno borderline. As pessoas que dão likes ou compartilham o conteúdo também promovem a violência, já que isso estimula o agressor a sentir orgulho, diversão ou até mesmo se tornar mais popular por meio do mal que cometeu” explica o Psicólogo André Barbosa, autor de um livro sobre transtorno de personalidade boderline.

O especialista em psicologia André Barbosa contextualiza que historicamente, civilizações passadas cultivavam o hábito de assistir indivíduos serem apedrejados em praça pública: “esse instinto primitivo faz com que pessoas incentivem essa carnificina virtual. A todo momento, o instagram é palco de apedrejamento digital: não suje suas mãos com esse sangue. Você pode não ter matado a pessoa, mas se você compartilhou, curtiu ou incentivou, indiretamente você contribuiu com a morte de alguém”, constata. 
Em uma live sobre os impactos do cyberbullying e da cultura do cancelamento, o Psicólogo André Barbosa ressalta a importância da responsabilidade digital nas plataformas virtuais. Ao ver publicações que promovem violência, denuncie. A vítima pode estar fragilizada com a situação e não conseguir se defender das agressões.

Sobre André Barbosa

O psicólogo e escritor Dr. André Barbosa é formado em psicologia pela Universidade de Fortaleza (Unifor), especializado em terapia cognitivo-comportamental pela UniChristus, graduado em Administração e Marketing pela Estácio e em Business Communication pela Universidade de Cambridge no Reino Unido.

Também é autor de 6 livros sobre depressão, comportamento, qualidade do sono e desafios emocionais, ciúmes e transtorno de personalidade boderline. Já foi colunista no Jornal Tribuna do Ceará. Além disso, é professor do curso de Formação em Terapia Cognitivo-Comportamental da IEMB e professor de inteligência emocional da MEGE.

Nas Redes Sociais, André Barbosa é dono dos perfis @opsicologo, com mais de 290 mil seguidores, e @freudofficial, com mais de 760 mil.

Botão Voltar ao topo