Lar Em Destaque Cientistas desvendam pistas sobre evolução de neurônios a partir de animais marinhos de um milímetro
Em DestaqueMundo

Cientistas desvendam pistas sobre evolução de neurônios a partir de animais marinhos de um milímetro

Apesar de toda a sua importância para o nosso Sistema Nervoso Central e nosso organismo como um todo, ainda existem lacunas na história do desenvolvimento dos neurônios, no entanto, uma equipe de pesquisadores pode ter descoberto pistas importantes sobre a evolução dessas células através da análise de um animal marinho microscópico.

De acordo com o artigo, publicado na revista científica Cell, que contém os resultados da pesquisa, os placozoários – microrganismos marinhos de cerca de um milímetro com forma achatada surgidos há 800 milhões de anos – pode ter relação com o surgimento dos neurônios.

A equipe, coordenada pelo Centro de Regulação Genômica (CRG) do Instituto de Ciência e Tecnologia de Barcelona mapeou as células encontradas nos placozoários, cada uma com funções específicas e sendo coordenadas por um determinado conjunto de genes, para posteriormente serem comparadas com células de outros animais, determinando assim a sua evolução.

O mapa indicou que uma parte significativa das células dos placozoários multiplica-se e transforma-se em outro tipo de células para manter uma proporção entre as quantidades de cada tipo de células. No entanto, um tipo específico celular, chamado peptidérgica, possuem semelhanças com os neurônios, em sua capacidade de diferenciação, similar à neurogênese e pelo fato de possuírem módulos de genes para “enviar mensagens”, de forma parecida como ocorre com os neurônios, indicando assim que as células presentes nos placozoários são uma etapa primitiva da origem dos neurônios.

 

Por que entender a história evolutiva dos neurônios?

De acordo com o Pós Phd em neurociências, Biólogo e especialista em genômica, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, entender a evolução dos neurônios permite um melhor entendimento sobre as células e seu funcionamento.

Entender como ocorreu o desenvolvimento dos neurônios ajuda a entender melhor como eles funcionam atualmente, nesse estudo em específico podem estar indicações importantes sobre a comunicação entre neurônios, formação de sinapses e neurogênese, entendendo o processo que formatou essas habilidades entende-se melhor o seu funcionamento, consequentemente, do cérebro como um todo”, afirma Dr. Fabiano.

Sobre Dr. Fabiano de Abreu Agrela

O Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues, é um Pós-doutor e PhD em neurociências eleito membro da Sigma Xi, The Scientific Research Honor Society e Membro da Society for Neuroscience (USA) e da APA – American Philosophical Association, Mestre em Psicologia, Licenciado em Biologia e História; também Tecnólogo em Antropologia e filosofia com várias formações nacionais e internacionais em Neurociências e Neuropsicologia. Pesquisador e especialista em Nutrigenética e Genômica. É diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), Cientista no Hospital Universitário Martin Dockweiler, Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, Membro ativo da Redilat, membro-sócio da APBE – Associação Portuguesa de Biologia Evolutiva e da SPCE – Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Membro das sociedades de alto QI Mensa, Intertel, ISPE High IQ Society e Triple Nine Society. Autor de mais de 200 artigos científicos e 15 livros.

Artigos relacionados

Em Destaque

Uma manhã alegre, divertida, colorida e de conscientização: Rua de Lazer celebra Dia do Autismo

No último sábado, 13 de abril, o Parque Ecológico Municipal Oswaldo Magalhães...

Em Destaque

Talento vespasianense passa a integrar a categoria de base do Sada Vôlei

Sonho realizado. Neste sábado, a Prefeitura de Vespasiano, através das Secretarias de...

Em Destaque

Pesquisa brasileira busca compreender ligações entre obesidade infantil e saúde da coluna

A obesidade infantil tem se tornado uma preocupação crescente em todo o...