Toda Mãe já foi menina

Ela tem 92 anos.
O corpo dói, ela sente o peso das memórias. Cuidou de todos, a vida toda. Filhos, netos, marido. Hoje está feliz, vai receber visitas. Seu filho vem te visitar. Vai conhecer sua bisneta. Está emocionada. Arrumou o lenço no cabelo, vestiu o seu melhor vestido, abriu a porta da sala, (à tardinha entra um vento gostoso que invade toda a casa). Sentou-se com dificuldades no sofá. Está cansada, mas não vai tirar seu pontual cochilo, não pode, seu filho mais velho vai vir. Fechou os olhos…

Está com 59 anos agora.
Partes do corpo caíram, mas ela nem liga. Está na sua melhor fase, confiante. Sabe tudo sobre a vida, e sabe valorizar cada um dos seus dias. Vai sair com as amigas mais tarde. Filhos todos crescidos. Pode ter essa liberdade agora. Foi ao salão, mudou um pouco o visual, o cabelo. Está pronta para mais uma noite de danças e vinhos. Vai sair com as amigas, se divertir, está feliz, dançando, girando, parece voando com o vento pelo tempo… e vai… voando…

Chega aos 41 anos.
Uma verdadeira mulher. Pronta para a vida que escolheu. Decidida, cheia de tarefas, serviços e ainda carregando a segunda filha. O braço dói, nem liga, ela ama cuidar da casa, da família. Está na cozinha fazendo o jantar, trabalhou o dia inteiro, está de uniforme ainda, esgotada, mas não sente, não vê o cansaço. Abre a janela da cozinha, o vento espalha o cheiro do tempero no ar. – O jantar está pronto!  Ouvem-se gritos de alegria. Está tudo pronto mais um dia. Liga o chuveiro, banho, seu momento de paz, molha os cabelos, fecha os olhos…

Tem 20 anos agora!
Tem toda uma vida para escolher. Escolheu o mais bonito da sala, irão ao baile juntos. Pintou o cabelo, ganhou um vestido, vai estrear hoje, junto com a sandália que nunca usou. Ela é livre, tem todo o tempo a seu favor. Hoje à noite ela vai brilhar! Uma dança, um encontro, um beijo. Sente o vento da madrugada no rosto ao chegar em casa, se despede no portão, mais um beijo tímido, sorrisos, que noite linda, vai para a cama, começa a sonhar…

Está com 7 anos.
A alegria da casa. O anjo que caiu do céu. O amor da família. É sua primeira visita ao parque que chegou à cidade, corre sem parar, cabelos ao vento, vestido sujo de sorvete, e corre. Ela não cansa. O corpo é novo, forte, tem apenas alguns arranhões das brincadeiras da vida. De repente para, olha, sorri… ELA ESTÁ SORRINDO!

ACORDA!
Mãe? Acorda, está dormindo? Olha, ela está sorrindo para você!
Oi? Meu filho, vocês já chegaram?
Sim, olha sua bisneta.
Que linda meu filho.

Mães.

Botão Voltar ao topo