Lar Em Destaque M3GAN: Como brinquedos com inteligência artificial podem impactar crianças?
Em DestaqueSaúde +

M3GAN: Como brinquedos com inteligência artificial podem impactar crianças?

O novo filme do cineasta James Wan, ‘M3GAN’, é esperado com muita expectativa pelos fãs de terror e tem levantado uma série de questionamentos sobre os impactos de brinquedos com inteligência artificial para crianças.

No filme, a boneca robótica M3gan é produzida com inteligência artificial para ser o ‘brinquedo perfeito’, mas que com o tempo se desvia para projetos malignos, no entanto, retirando a parte ficcional do longa, pouco se sabe realmente sobre como a nova onda de brinquedos tecnológicos e jogos eletrônicos de última geração no desenvolvimento das crianças.

De acordo com o Pós PhD em neurociências, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, esse tipo de brinquedo pode ser benéfico, mas sem os devidos cuidados pode estimular condições como ansiedade, dependência digital e déficit de atenção nas crianças.

Sou um defensor do uso de tecnologias na formação das crianças, jogos eletrônicos, por exemplo, podem trazer uma série de benefícios se utilizados corretamente, no entanto, se usados de forma excessiva, podem ser perigosos”.

Brinquedos que utilizam inteligência artificial para ‘conversar’ com as crianças ou reproduzir sons mediante comandos podem ser muito benéficos para a educação, mas se usados como única interação social da criança, como no filme, seu uso pode gerar estímulos no cérebro que causam dependência e isolamento social, além de facilitar o surgimento de ansiedade”. Ressalta.

Nessa nova geração de ‘nativos digitais’ onde, apesar de terem facilidade para manusear as tecnologias, pouco aprenderem sobre como dosá-las e utilizá-las corretamente, é importante ensinar as crianças desde cedo sobre limites e mostrar que esse tipo de tecnologia pode ser usada para muito mais que entretenimento, podendo facilitar o aprendizado. Além disso, a responsabilidade de quem produz o equipamento é grande, devendo haver uma fiscalização e leis que monitorem e penalizem caso o brinquedo possa ser prejudicial”. Afirma o Dr. Fabiano de Abreu.

Sobre o Dr. Fabiano de Abreu

Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues, é um Pós-doutor e PhD em neurociências eleito membro da Sigma Xi, The Scientific Research Honor Society e Membro da Society for Neuroscience (USA) e da APA – American Philosophical Association, Mestre em Psicologia, Licenciado em Biologia e História; também Tecnólogo em Antropologia com várias formações nacionais e internacionais em Neurociências e Neuropsicologia. É diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), Cientista no Hospital Universitário Martin Dockweiler, Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, Membro ativo da Redilat, membro-sócio da APBE – Associação Portuguesa de Biologia Evolutiva. Membro Mensa, Intertel e TNS. Currículo BR: http://lattes.cnpq.br/1428461891222558 Currículo PT: https://www.cienciavitae.pt/portal/en/8316-38CC-0664 Currículo INT: https://orcid.org/0000-0002-5487-5852

Artigos relacionados

Em Destaque

Uma manhã alegre, divertida, colorida e de conscientização: Rua de Lazer celebra Dia do Autismo

No último sábado, 13 de abril, o Parque Ecológico Municipal Oswaldo Magalhães...

Em Destaque

Talento vespasianense passa a integrar a categoria de base do Sada Vôlei

Sonho realizado. Neste sábado, a Prefeitura de Vespasiano, através das Secretarias de...

Em Destaque

Pesquisa brasileira busca compreender ligações entre obesidade infantil e saúde da coluna

A obesidade infantil tem se tornado uma preocupação crescente em todo o...