Lar Clube do Livro Entenda impactos políticos da morte do presidente do Irã
Clube do LivroEm Destaque

Entenda impactos políticos da morte do presidente do Irã

Sociólogo Luiz Fellipe Gonçalves de Carvalho explica o que acontecerá com o governo do país após a morte do governante 

A morte do presidente do Irã, Ebrahim Raisi, aos 63 anos, foi confirmada nesta segunda-feira, após a queda de um dos três helicópteros de seu comboio presidencial. O acidente ocorreu em uma região montanhosa perto da fronteira com o Azerbaijão, em meio a condições de mau tempo e neblina espessa. Raisi, conhecido por suas posições ultraconservadoras, liderava a República Islâmica desde junho de 2021, após suceder ao moderado Hassan Rouhani.

A mídia estatal iraniana inicialmente reportou que a aeronave havia realizado um “pouso forçado”, mas a situação se revelou mais grave, levando a uma grande operação de busca e resgate. A morte de Raisi foi oficialmente anunciada pelo vice-presidente Mohsen Mansouri e confirmada em uma reunião de emergência do gabinete liderada por Mokhber, conforme reportagens do “Guardian”.

Apesar do choque e das condolências estendidas pelo governo ao líder supremo Ali Khamenei e à nação iraniana, o governo assegurou que a administração continuará “sem interrupções”. Um comunicado oficial descreveu Raisi como um líder “trabalhador e incansável”, afirmando que “não haverá a menor perturbação” na continuidade governamental.

O sociólogo Luiz Fellipe Gonçalves de Carvalho aponta que a morte do presidente iraniano não deve resultar em mudanças significativas na geopolítica do país. “Nesse Estado Teocrático, o poder de fato é exercido pelo Aiatolá. O presidente que morreu foi avalizado por ele, assim como o próximo também será”, explica Carvalho.

Ele acrescenta, “O sistema político iraniano é projetado para assegurar uma transferência de poder calculada já que também é dirigida centralmente. Isso minimiza qualquer impacto nas políticas interna e externa”, acrescenta.

Carvalho também discute as possíveis repercussões da morte de Raisi nas relações internacionais: “Embora o presidente tenha um papel visível em representar o Irã globalmente, as diretrizes principais, especialmente em questões de segurança e política externa, são traçadas pelo líder supremo. Portanto, não esperamos uma mudança na postura do Irã em seus confrontos internacionais ou em suas negociações nucleares.”

A morte de Raisi, sublinha a natureza complexa e estratificada do poder no Irã, onde o líder supremo mantém a autoridade máxima, sugerindo que, apesar da perda do presidente, poucas mudanças de política são esperadas no curto prazo.

Sobre Luiz Fellipe Gonçalves de Carvalho

Sociólogo, filósofo, palestrante e escritor. Idealizador da escola de yoga “Movimento Ahimsa” e membro da sociedade de alto QI Mensa. Pesquisador do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito – CPAH.

Todo o conteúdo enviado pela MF Press Global é verificado e conferido. Assim como o currículo dos nossos profissionais, mantendo assim 15 anos sem nenhuma informação, sequer, duvidosa. Também estamos disponíveis para enviar qualquer comprovação se solicitado pela imprensa.

Nossa maior dedicação é pela confiança da informação. Agradecemos a parceria de longa data. E nos colocamos à disposição para oferecer o melhor conteúdo, fontes e exclusivas. Atenciosamente.

Equipe MF Press Global

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Em Destaque

Participe do 3º Arraiá da Psiquê: Shows, Comidas Típicas e Muito Mais!

Preparem-se para uma festa junina imperdível! No dia 6 de julho, a...

AgendaEm Destaque

FIT BH – de 20 a 30 de junho

O FIT BH é mais que um Festival. É uma plataforma de...

Em Destaque

Prepare-se para a Feira Couros & Malhas em Vespasiano

Vem aí o evento mais esperado do ano em Vespasiano! De 07/06...