X Promoções
  • Home
  • Saúde +
  • Ansiedade dos brasileiros desencadeia transtornos que podem ser passados para as gerações futuras
Saúde +

Ansiedade dos brasileiros desencadeia transtornos que podem ser passados para as gerações futuras

Considerada a sociedade mais ansiosa do mundo, o comportamento dos brasileiros pode desencadear transtornos e generalizar atitudes antissociais. Estudo do Dr Fabiano de Abreu, feito na Logos University International, publicado na revista científica Cognitionis, busca solucionar o problema.

O Brasil está entre os 5 países mais conectados do mundo, além de ser o 3º em uso diário e é justamente na internet que é possível reconhecer certas atitudes que preocupam especialistas. Entre os comportamentos, o excesso de ansiedade, o egoísmo, o narcisismo, o negacionismo, a propagação de fake news, o exibicionismo e a arrogância, são características de um narcisismo patológico. 

De acordo com os estudos do PHD, neurocientista e biólogo Dr. Fabiano de Abreu, questões culturais podem ter culminado na formação de uma personalidade dramática para a sociedade brasileira. Desse modo, existem alguns transtornos como o Transtorno de Personalidade Histriônica (TPH), Transtorno de Personalidade Narcisista (TPN), Transtorno de Personalidade Antissocial (TPAS) e Transtorno de Personalidade Borderline (TPB); que exemplificam as perturbações de uma personalidade dramática.

O especialista explica ainda, que o cérebro humano não se encontra totalmente adaptado à realidade contemporânea, tendo ainda, instintos ligados à sobrevivência e manutenção da espécie e, justamente por isso, as disfunções provenientes do instinto humano não adaptado à cultura causam consequências generalizadas para a sociedade.

Personalidade dramática

Os padrões de comportamento das pessoas com personalidade dramática se relacionam com a liberação de neurotransmissores que tragam a sensação de bem-estar. Logo, a ansiedade, por causar justamente o contrário, é uma espécie de amplificador de atitudes que podem ser observadas em transtornos como o TPH. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o Brasil é o país mais ansioso do mundo.

A necessidade de ser o centro das atenções, ser sexualmente sedutor, ter emoções inconstantes, ser emocionalmente exagerado, arrogância, a manipulação, a incoerência, o vitimismo e o medo de ser abandonado, por exemplo, são características decorrentes de disfunções de personalidade comuns a pessoas com personalidade dramática.

O Dr Fabiano de Abreu, acredita que a melhor forma de solucionar o problema que afeta a sociedade brasileira de modo geral, é o tratamento de neuroterapia e psicoconstrução, “Estamos vivendo a fase das personalidades dramáticas. A sociedade está sofrendo um derivado de ansiedade, pela sua cultura e necessidade de recompensa. Quanto mais constante e intensa a ansiedade, mais o ser humano entra em uma atmosfera negativa. De posse deste conhecimento, a criação de terapias como a psicoconstrução e neuroterapia visa tratar o paciente de acordo com a genética, personalidade e comportamento”, detalha o neurocientista. Para ele, também urgem mudanças no processo escolar parental visando proteger o futuro da sociedade brasileira.

Sobre o autor

Fabiano de Abreu Rodrigues  é PhD, neurocientista com formações também em neuropsicologia, biologia, história, antropologia, neurolinguística, neuroplasticidade, inteligência artificial, neurociência aplicada à aprendizagem, filosofia, jornalismo e formação profissional em nutrição clínica. Atualmente, é diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito; Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International e membro da Federação Européia de Neurociências e da Sociedade Brasileira e Portuguesa de Neurociências. 

Publicações Relacionadas

Estudos comprovam benefícios dos alimentos no combate ao câncer de mama

Marcos Rogério

Pessoas com visão monocular lutam para serem reconhecidas como pessoas com deficiência

Marcos Rogério

Novos casos de câncer de próstata devem passar de 68 mil até o final de 2018

Marcos Rogério