X Promoções
  • Home
  • Faseh
  • Como garantir segurança às aulas presenciais na pandemia
Faseh

Como garantir segurança às aulas presenciais na pandemia

Faseh retoma aulas práticas presenciais dos cursos de saúde com espaços adaptados, manual de normas sanitárias e segurança à comunidade acadêmica 

Aula presencial na pandemia: afastamento, uso de proteção e tecnologia no lab de Anatomia

A Faseh é uma das poucas instituições de ensino superior do país a retomar as aulas práticas presenciais dos cursos de saúde, neste período de pandemia. Após a liberação pelo MEC, a faculdade encarou o desafio com base nos protocolos sanitários adotados por escolas de vários países e aprovados pelo Comitê Extraordinário Covid-19 de Vespasiano.

Consultórios adaptados e equipamentos de proteção em atendimento na Clínica-escola da Faseh

Os laboratórios foram adaptados, assim como as 2 clínicas-escola de Vespasiano e Lagoa Santa. No mês de agosto, o campus foi reaberto para as aulas práticas presenciais da Medicina. Neste mês de setembro, foram retomadas as práticas do curso de Fisioterapia. Alunos, professores, funcionários e pacientes falam sobre as medidas de segurança adotadas pela Faseh que garantem tranquilidade no retorno aos ambientes de prática na faculdade.

“A gente está aprendendo com a pandemia. A comunidade científica, como um todo, com pesquisa e tudo, está aprendendo. Hoje, as condutas são diferentes do início. Temos que aprender e mudar os costumes” Prof. Libértala Martins da Rocha

Protocolos e adequação

Desde Junho, a faculdade vinha fazendo estudos para se adequar e receber todo mundo com segurança. ‘Avaliamos todos os protocolos de segurança da OMS, da SES, dos comitês de Covid e fizemos uma adequação na faculdade como um todo. Não só na área dos atendimentos,  mas na administrativa também”. A informação é da professora Libértala Martins da Rocha que é Responsável Técnica de Enfermagem da Clínica-escola.

Prof. da Faseh Libértala Rocha: protocolo sanitário e educação na pandemia

A professora auxiliou a diretora acadêmica, Dra. Hérica Soraya Albano, a preparar o manual de condutas e adequações que foi enviado ao Comitê de Covid de Vespasiano para aprovação. “Fizemos adequações de distanciamento, isolamentos em banheiros e áreas comuns, estabelecemos distanciamento de 2 metros, entre alunos  nos laboratórios e nas Clínicas, colocamos proteções de acrílicos em todos os locais”.

A cantina, para reabrir, teve que ser totalmente adequada. São 30 mesas numeradas, todas com álcool gel. Só pode sentar 1 pessoa por mesa. O espaçamento entre elas é de mais de 2 metros. O pedido é feito por telefone e a comida é entregue na mesa que depois é toda higienizada, antes que outra pessoa use.Recepção na Faseh: proteção acrílica, álcool gel e medição de temperaturaFaseh: Catracas biométricas desativadas e alerta nos corrimõesCartazes educativos nos consultórios da Clínica-escolaBanheiros da Faseh: isolamento e higienização permanente

Compromisso de segurança

O manual de adequação da Faseh foi enviado ao Comitê de Covid para análise e aprovação, antes do anúncio da retomada das aulas práticas. Mesmo assim, a supervisora de enfermagem conta que ainda houve temor por parte de estudantes e das famílias deles. “No primeiro dia de aula, 10 de agosto, vi que os alunos estavam com muito receio. Tanto eles, quantos os pais e alguns vieram conferir se havia segurança para os filhos”.

Adequar os espaços físicos é só uma parte. Fazer as pessoas se adequarem ao novo, ao cumprimento das normas, é mais trabalhoso. Os funcionários da Faseh foram treinados para regular a entrada e saída dos ambientes, obedecendo à regra do fluxo unidirecional de pessoas, para que elas não se cruzem e esbarrem. “Estamos impedindo aglomerações nos corredores, antes e depois das aulas. Acabou a atividade, o aluno tem que ir embora. Orientamos os que vêm para a faculdade juntos, em veículo compartilhado, para que todos usem máscaras”, explica Libértala.

Check de temperatura: aluno passa por triagem na chegada para aula na Faseh

Cumprimento das normas

É isso que o responsável pelos laboratórios, Ricardo Matos, e sua equipe garantem todos os dias. Ele conta como é o procedimento adotado para as aulas em laboratórios da Faseh, no acesso ao de Anatomia e de Bioquímica. “Eles entram por esta porta lateral e saem pela dos fundos do laboratório, mantendo o fluxo unidirecional. O aluno chega, tem a temperatura conferida do lado de fora, recebe os EPIs – touca, máscara e luva – e tem que preencher a ficha de bem-estar, obrigatória e diária, e um funcionário confere, antes de liberar a entrada”.

https://youtube.com/watch?v=kTtbPQMfcHo%3Fab_channel%3DAg

A professora Libértala conta como foi a resposta, diante das medidas adotadas. “No primeiro dia, já tinha 30 alunos, na primeira turma. No segundo horário, mais 30. E os outros períodos começaram a ver como estávamos rigorosos com a questão da segurança e houve adesão quase completa”.

Com isso, até aulas práticas, como as de Prática Cirúrgica e de Medicina de Emergência, que exigem maior proximidade entre os alunos estão sendo realizadas com toda a segurança exigida. Para as práticas de atendimento de emergência que necessitam de mais espaço, o professor Armando Monteiro têm usado, os corredores da Clínica-escola e até o galpão da Engenharia.

E não é só dentro dos laboratórios. Nos consultórios das duas Clínicas-escola da Faseh, atendendo pacientes, os alunos também têm se sentido muito seguros e cuidados. Foi o que nos garantiu Isabela Campos Oliveira de Ávila (7º/8º período) que confessa que, antes da volta às aulas, temia pelo retorno às práticas.

https://youtube.com/watch?v=v113H6UyzMc%3Fab_channel%3DAg

Conscientização e maturidade

O professor de Anatomia da Faseh, Dr. Talles Prósperi de Paula, fala sobre o empenho na conscientização dos alunos. Eles têm sido alertados para manter o isolamento, dentro e fora da faculdade. “Estamos trabalhando dentro de normas rigorosas. Não adianta chegar aqui com um procedimento e lá fora agir de outra maneira. O que a gente tem que fazer é preservar vidas. Não é o momento de deixar de lado as medidas de prevenção. A pandemia não acabou. Estamos numa fase de equilíbrio da curva, mas ela tende a descer ou a subir. Isso vai depender do nosso comportamento, da nossa maturidade diante da pandemia”.

https://youtube.com/watch?v=HPY3hOBpjlM%3Fab_channel%3DAg

A professora Libértala diz que um ou outro aluno não está participando das aulas porque tem algum fator de risco. Mas ressalta que, mesmo para estes,  é possível frequentar as aulas, com os EPIs. “Ninguém entra na faculdade, sem trocar a máscara. A gente já faz trocar a máscara de pano pela cirúrgica de tripla camada. E ainda botar face shield, o capote, luvas, para todas as aulas”.

https://youtube.com/watch?v=MXeKf_zfcZk%3Fab_channel%3DAg

Retomada dos atendimentos médicos

No dia 17 agosto, a faculdade reiniciou os atendimentos médicos de consultas programadas do SUS, com pacientes nas Clínicas-escola de Vespasiano e Lagoa Santa. As especialidades foram divididas por dias de semana e o número de atendimentos por horário reduzido pela metade do número de consultórios.

Campanha visual e controle de permanência na Clínica-escola da Faseh

“Isto porque temos que limitar a quantidade de pessoas dentro dos prédios, de acordo com as normas do Comitê. Cada prédio não pode ultrapassar 30 pessoas presentes, contando alunos, pacientes e professores. Então, as turmas estão sendo divididas em números menores de alunos, e o número de pacientes aceitos também menor. 1 a 2 alunos, no máximo, por consultório”.

Dentro dos consultórios, o distanciamento também é de 2 metros, entre as pessoas. As discussões de casos, pós-atendimento, são feitas em ambiente amplo e arejado.

Aula com distanciamento: professores e alunos discutem casos atendidos na Clínica

A Coordenadora de Medicina, professora Dra. Tatiane Miranda é quem programa as práticas para que todos os períodos cumpram  a carga horária prevista de aulas. A distribuição dos alunos, pelos locais de atendimento, é feita por grupos pequenos em mais campos de estágio, como as UBS Nova Pampulha e Morro Alto, em Vespasiano, além da Clínica-escola de Lagoa Santa.

Evitando o contágio

Apesar de todos os pacientes serem triados na chegada às Clínicas da Faseh, um dia antes da consulta, funcionários ligam para os agendados e perguntam se estão com sintoma da Covid-19. Se positivo, eles são encaminhados para unidades de saúde das prefeituras. A consulta de especialidade na Faseh é cancelada e só depois de 10 dias remarcada.

“Se o aluno detecta sintomas durante a consulta, trocamos a máscara do paciente pela cirúrgica, colocamos luvas e levamos para o consultório de isolamento que é o último da clínica perto da saída. Com os alunos devidamente paramentados, o atendimento pode ser feito com segurança”, garante Libértala.

Protocolo sanitário: segurança para alunos e pacientes nas Clínicas-escola da Faseh

Limpeza e desinfecção

Após cada atendimento, é feita a higienização do consultório e dos equipamentos utilizados na consulta. Os primeiros atendimentos são feitos nos consultórios pares e as consultas do horário seguinte nos ímpares. Enquanto uns são usados, os outros estão sendo higienizados.  A cada turno, é feita limpeza completa, lavagem com água, sabão e hipoclorito para desinfecção total.

“Com numero pequeno de alunos e pacientes conseguimos montar este esquema, Se estivéssemos com a clínica cheia, teríamos que dar meia hora de intervalo entre as consultas”, finaliza Libértala.

Higienização: consultórios das Clínicas-escola da Faseh são desinfectados a cada consulta

Na Clínica de Lagoa Santa, o professor Dr. Leandro de Souza Maia que é preceptor de geriatria também ressalta a tranquilidade nos atendimentos. “Os estudantes precisavam disso, desta segurança que a faculdade está passando, para podermos retomar estas consultas. Os pacientes têm vindo e retornam felizes. Trouxeram até presentes para a nossa equipe!”

https://youtube.com/watch?v=pQmVHyKxaME%3Fab_channel%3DAg

Alunos e pacientes também relatam a segurança que os procedimentos de prevenção adotados pela Faseh têm passado. Foi o que sentiu o técnico eletrônico Anderson de Abreu que, pela primeira vez, foi atendido na Clínica-escola de Lagoa Santa, pela acadêmica Mariane Neto Rodrigues.

“Está muito seguro pra gente. A gente tem treinamento e as meninas da enfermagem estão controlando muito bem e os professores também fazendo com que a gente siga tudo direitinho”, diz a estudante. “Desde que cheguei, deu pra perceber que tem um procedimento. E onde tem procedimento, tem treinamento, Onde tem treinamento, a gente sabe que está dentro de um ambiente seguro. Desde que cheguei, senti isso!”, garante o paciente.

Serviço:

Clínica-escola Vespasiano: Rua São Paulo 958, Jardim Alterosa – Vespasiano/MG                                                                               (31) 2138-2932\ 2928\2933

Clínica-escola Lagoa Santa: Av. Acadêmico Nilo Figueiredo 2303 – 3º andar, bairro Joana D’Arc                                                     (31) 3688 4141

Publicações Relacionadas

Cuidados na pandemia garantem atendimento sem contágio na clínica de fisioterapia da FASEH

Marcos Rogério

Ex aluna da FASEH é autora de pesquisa inédita com publicação Internacional

Marcos Rogério

Faseh retoma atendimentos médicos na clínica-escola com cuidado redobrado

Marcos Rogério