X Promoções
Em Destaque

Se não está no Google, não existe

Uma coisa é fato: o consumidor está empoderado!

Sabe por quê? Vivemos na era da informação. Antes de comprar algo, contratar um serviço ou até mesmo fazer uma receita, a ação é a mesma: pesquisar no Google, maior buscador do mundo. Todas as vezes que um usuário faz uma busca, o GoogleBot (robô indexador do Google) faz uma varredura em todos os conteúdos disponibilizados na internet e, em questão de microssegundos, estão na sua tela os melhores resultados que ele encontrou, por grau de relevância.

A grande questão é que quase ninguém vai até o fim da página de resultados, quanto mais para as outras páginas. Por isso, costumam dizer na internet que se quiser esconder algo, é só colocar na segunda página do Google. Poucos sabem, mas a maior parte dos cliques vai para os dois primeiros sites. Mas como ter o site ou rede social (já que o Google também indexa conteúdos das redes) em uma boa posição desse ranking tão disputado?

O Google lista na primeira página, os resultados de sites que são mais relevantes à pessoa que pesquisa naquele momento. E então, como ser relevante?

Como explico em meu livro “SEO de verdade: se não está no Google, não existe”, um SEO de verdade é feito por três grandes pilares: conteúdo, técnica e experiência do usuário. Muita coisa, relacionada a essas grandes temáticas pode influenciar para que seu site tenha maior chance de um bom posicionamento no ranking, como o site se adaptar em multitelas (ser responsivo), ter um carregamento ágil, conteúdo frequente e atualizado e até mesmo a quantidade de palavras que tem um texto no blog.

Utilizar técnicas de SEO (Search Engine Optimization) é a forma mais efetiva de ter um site ou uma página de rede social, que é interessante ao público em destaque no buscador. O segredo é: querer agradar o usuário para consequentemente agradar ao algoritmo.

Tudo no marketing é sobre pessoas, então não faz sentido focar o trabalho pensando em agradar a um robô, não é mesmo? Isso porque o SEO, na tradução livre, é Otimização de Mecanismos de Busca, e significa que é um conjunto de otimizações necessárias em um site para que ele seja bom aos olhos do usuário e do algoritmo do Google. Não adianta concentrar suas energias em agradar o algoritmo para que seu site seja considerado relevante. Pense em deixar o seu site da melhor forma para quem vai acessar, e como consequência, os algoritmos vão perceber que ele é relevante. Foco sempre nas pessoas.

Para considerar um site relevante, o GoogleBot (lembra dele? É o algoritmo Google que lê todas as páginas disponíveis na internet) avalia mais de 200 critérios. Basicamente, se sua página estiver dentro desses critérios que são analisados, terá mais chances de ter uma boa posição no ranking. Entre esses critérios, algumas questões são importantes: gere conteúdos com frequência, e para isso é importante que seu site tenha um blog. Já que tudo começa com o usuário fazendo a busca por uma palavra-chave, se seu site não tiver um conteúdo de qualidade, o usuário não encontrará. Além disso, lembre-se que seu site precisa necessariamente ser responsivo (se adaptar em multitelas) e ter um carregamento ágil. Se seu conteúdo for muito bom, ele pode ter uma boa posição no ranking do Google mesmo que tenha sido publicado em uma página de rede social.

É preciso considerar que existem dois tipos de buscas: as abrangentes e as com palavras-chave de cauda longa. As abrangentes são as que não mostram a intenção do usuário que buscou, como por exemplo “calçados”. Essa pessoa pode querer ver fotos de calçados, podem ser femininos, masculinos, de qualquer tipo de material. Já as palavras-chave de cauda longa demonstram especificamente o que o usuário quer, como por exemplo “bota preta de couro de tal marca”. No segundo caso, existe um menor volume de buscas, mas mostra claramente a intenção do usuário. Por isso, lembre-se que se quiser disputar o ranking com palavras muito abrangentes, vai depender de um trabalho que traz um resultado a longo prazo.

Em resumo, SEO é uma estratégia que visa fazer com que o site esteja dentro dos mais de 200 critérios que são analisados pelo Google quando verificada a relevância das páginas disponíveis na internet. Se o site estiver de acordo com o que é analisado como critério de qualidade, ele tem a possibilidade de ter uma melhor posição no ranking de resultados.

O profissional de SEO é um profissional que precisa entender de marketing e conhecer todos esses critérios analisados pelo Google, além de ficar sempre por dentro das atualizações nas funcionalidades dos algoritmos. É considerada uma profissão emergente, e seu grande ponto positivo é não depender de recursos financeiros, apenas o conhecimento de um profissional.

Autora: Maria Carolina Avis é autora do livro “SEO de verdade: se não está no Google, não existe”

Publicações Relacionadas

Alunos da área de saúde poderão ajudar no combate ao coronavírus

Marcos Rogério

TSE passa a permitir procedimentos online devido à pandemia pelo novo Coronavírus

Marcos Rogério

LBV completa 70 anos de trabalho promovendo a Caridade Completa: a do corpo e da Alma

Marcos Rogério